Voltando depois de muitos meses… escrever ainda é tão necessário quanto respirar!

E começou com uma brisa… 
Não deveria existir graça nos problemas dos outros.
 
 

I thought I saw a man brought to life
He was warm he came around like he was dignified
He showed me what it was to cry

Well you couldn’t be that man I adored
You don’t seem to know-or seem to care what your heart is for
But I don’t know him anymore

There’s nothin’ where he used to lie
My conversation has run dry
That’s what’s goin’ on

Nothing’s fine
I’m torn
I’m all out of faith, this is how I feel
I’m cold and I am shamed
Lying naked on the floor
Illusion never changed
Into something real
I’m wide awake and I can see the perfect sky is torn
You’re a little late
I’m already torn

So I guess the fortune teller’s right
I should have seen just what was there and not some Holy light

But you crawled beneath my veins and now I don’t care, I have no luck
I don’t miss it all that much
There’s just so many things

That I can’t touch
I’m torn
 

Natalie Imbruglia – Torn

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Acho que essa música me poupa muitas palavras…

Em alguns momentos desejamos, temos sonhos e lutamos para vê-los concretizados. É inerente ao ser humano o pensamento abstrato, sentimentos como fé e esperança, otimismo e a crença no final feliz. Sou humana também, portanto faço parte dessa massa que acredita e faz acreditar em dias melhores, mas no presente momento não estou acreditando em nada.

Não quero dizer caro leitor, que isso seja de todo ruim, ou que estou passando por uma fase depressiva onde a fé em Deus também falta. Na verdade o que me falta é a fé nos homens. – Quanto mais penso conhecer alguém, mais me abro para o desencontro e a decepção de toda espécie. – Parece que a vida sente um prazer sádico em me mostrar sempre o pior lado do ser humano.

Lembro de uma passagem bíblica que dizia sobre os homens que praticam a palavra de Deus e os que não praticam, uma comparação com uma casa com o fundamento sobre rochas e a casa construída sobre areia. Acredito que em algum momento do meu relacionamento com o meu – ex-atual-futuro- esposo, troquei as rochas por cascalho e areia de praia… aquela fininha  que parece pó e faz edifícios como o Palace II virem ao chão. Na verdade tenho consciência de que fiz muito do que estava ao meu alcance para ter um bom fundamento, ai entra o furacão.

Esse furacão tem vários nomes, falta de vergonha na cara poderia ser o primeiro… rs

Brincadeiras a parte, gostaria de frisar que a teoria dos namorados (aqueles casais cute cute que se vêem apenas algumas vezes por semana e que quando brigam podem bater o telefone na cara do outro e ir para o computador, já que moram na casa dos pais, separados, não pagam muitas contas e não tem a obrigação da coexistência… ) sobre o casamento (Largara seu pai e sua mãe, se unirá a uma mulher e juntos serão uma só carne…) é tão abstrata, tão teorizada por ser um assunto cotidiano, que me irrita!

Longe de mim dizer que quem nunca dividiu a vida com alguém não tem o direito de ter uma opinião a cerca do assunto. Naturalmente tem! Mas a complexidade da minha situação atual, as dimensões que isso tem dentro de mim, das minhas crenças, das minhas escolhas, ninguém pode se meter, ou julgar. Tudo começou de forma pequena: pequenas brigas, pequenos desrespeitos, pequenos descasos, pequenas birras, pequenas folgas, pequenas intromissões, pequenas mentiras… Eis que 1 ano e 3 meses depois o furacão passa e arranca a casa do chão.

Era necessário?
Foi por falta de avisos?

Não consigo mais ver os fatos isolados, na verdade agora vejo uma grande massa com direito a resumo analisado de forma impessoal. É fácil ver partida por partida, difícil é ver o final do campeonato, ter uma visão mais de cima, um pensamento mais amplo e menos mesquinho perante a vida. O último furacão foi no dia 27/05. Tanto a matéria quanto a alma pereceram, e eu só quero justiça. Não quero conversas, não quero brigas, reconciliações, desculpas já foram pedidas e aceitas, não quero falar sobre isso… É um momento de LUTO.

É só isso que eu posso dizer, que quero que os meus poucos amigos respeitem isso, que eu devo tomar as decisões mais óbvias sobre a MINHA vida por escolha minha, não porque alguém aconselhou, julgou, absolveu ou disse. Não quero gente me acordado todos os dias como se eu fosse o Ia News – dê satisfações diárias da sua vida para mim, que não te sustento! – PRONTOFALEI! Se eu tive de ouvir que boa parte das minhas atuais mazelas se encontram na bondade e falta de imposição de limites, bora limitar o acesso a minha vida para tooodo mundo! ¬¬

Estou de luto pela morte de um dos meus mais caros sonhos, o assassinato daquilo que sinto, do sentimento pelo único homem que posso dizer que amei, para manter vivo quem sou, meu amor próprio principalmente. Essa é uma barreira que eu nunca vou quebrar. Não desistir, perdoar, amar com os defeitos, qualidades e seguir em frente, saber esquecer… não, não se encontra isso em qualquer esquina. E no fim cada um sabe de si!

O engraçado é que sempre que a gente estava junto e não contava para ninguém, viajava escondido, fazia amor a noite inteira com todo mundo pensando que estava tudo ruim, tudo errado e eu sozinha, tudo dava certo! Não havia brigas, não haviam discussões… só amor traduzido no nome de uma pessoa. É incrível como todo mundo “urubuza” o meu orkut, como chove gente pra me perguntar “vocês estão juntos?”. Mais que Porra! – primeiro palavrão do blog. Vive a sua vidinha e deixa a minha em paz! Você vai servir de colchão? Vai pagar as minhas contas? Então não pergunta! Pergunta se eu estou bem 1º e se eu quiser, talvez eu de uma palhinha e complete sua necessidade Big Brother de ser. De ter a vida alheia como parâmetro! Porque gente infeliz e solteira faz a felicidade dos mal amados!

Eu contei duas semanas atrás, tirando umas 3 pessoas que eu realmente considero, 12 pessoas vieram tirar satisfação de se eu estou namorando ou não! Imagina minha cara no msn… O SER nunca te dá oi, e a 1ª pergunta é essa atualização para o mercado da Dna Candinha. Eu vou excluir esse orkut, porque eu não mereço! Você vai lá olhar meu perfil, eu só adiciono quem eu conheço e eu acho que vale a pena -Se tem 200 pessoas peneiradas é muito! – Neguinho tem 500 contatos e ainda vem fuçar no meu perfil… me diz o que a vida de uma garota de 20 anos, órfã e que mora do outro lado da cidade no bairro da Liberdade tem de tão interessante? o.O

Olha, eu não entendo seu Orkut…” – Olha! Me poooupe-
É só uma página! Vá ler um livro!!!



Longe de mim dizer que é culpa dos desocupados os meus problemas, mas eu acredito na sabedoria divina e acredito em mim. – Se papai do céu me tirou meu padrinho (que era + que um pai), me tirou aos 16 anos minha mãe e me deu todas as invejáveis condições de seguir em frente sem precisar de ninguém de muleta ser auto-suficiente desde os 18 é para poucos! Sou foda! é porque eu não estou precisando de substitutos a tutores, que eu sei me cuidar sozinha.

Bem… eu continuo matando um leão por dia, mas agora vou matar seres humanos. Talvez eu mate aquela amiga que se diz tããããão ocupada mesmo gastando tempo futilizando a net fuçando perfis para te dar um oi, e que do nada te exclui do msn. (sem explicações! o.O) Mas para sorrir quando você diz que as coisas não vão bem, e se achar superior é a 1ª. Pra construir uma imagem falsa também. É filha, as máscaras sempre caem. Quer parar de se achar a última bolacha do pacote? Também não corro mais atrás!

Estou num momento clean. Totalmente faxina! Não estou com tempo pra mimimis, bobagens e coisas que não me acrescentam, na verdade estou cansada de pessoas!

Cansada dos pitis ciumentos do meu ex.
Cansada do barulho que aquele rolo bipolar faz se dando importância. E me fazendo rir…
Cansada de amigos falsos e que eu não via antes essa desqualificação.
Cansada das contas.
Cansada de você ter roubado o MEU maço de cigarro.
Cansada dos holofotes…

Chegaaaa!!
– Olha, no geral eu sou suuuper calminha. Mas hoje?

Não fode com o meu humor!
Doa a quem doer eu não engulo mais sapo, minha gastrite agradece. ProntoFalei!


Antigamente eu até condenava o meu “tecla foda-se way of life”, mas eu ainda gosto de ser aquela carne de pescoço, e já me disseram que eu educo algumas pessoas. Se os mais sem Q.E. (inteligência emociona) ex namorados aprenderam, essa cambada tem salvação ainda… ou isso ou eu piro!

Grrrrrrrrr!



Anúncios